01
Abr 08

Asas

Ansiosas de liberdade

e de igualar o voo das gaivotas,

as palavras soltam-se no vento,

que as desgrenha,

enrodilha,

e deixa cair

sobre as águas, revoltas,

de um mar de flor.

Luísa Dacosta

Muito Azul

não sei as horas. porém os esquilos

não se ouvem

atiro lentamente pedras

contra a luz

olho o mar

muito azul.

entreabro as mãos

escorre a caruma apanhada ao acaso

Daniel Maria-Pinto Rodrigues

Amanhece

Amanhece

e no espreguiçar dos olhos

absorvo a tontura do novo dia

Ao sair do quarto

atravesso o branco sujo da manhã

tropeço na claridade da primavera

e vou tomar café com muito açucar

Levo um pastel de Tentúgal para a varanda

e mastigo-o ouvindo as harpas da cidade

E quando tu chegas de roupão

bebendo o teu cacau

explico-te num gesto amplo de incertezas

o horizonte com barcos

Dniel Maria-Pinto Rodrigues

Eternas lembranças

Não consigo me acostumar
Com a idéia de que te perdi
de que não está mais aqui.
E sei que o tempo vai passar
e que muitos não irão se lembrar
de como você foi importante
de como sua presença que
parecia antes ser tão simples
foi marcante.
Cada dia ao seu lado,
não será lembrado por
mim como parte do passado
mais sim como lembranças de
alguém que será
eternamente lembrado

Bruna R.A.

publicado por andreiasofias7 às 21:00

Abril 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
18
19

20
21
22
23
25
26

27
28
29
30


mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

links
blogs SAPO